Três plataformas para começar seu próprio serviço de compartilhamento

Este post é uma tradução da Maísa Del Frari do post original de Nina Misuraca Ignaczak de 22/04/2014. 

http://www.shareable.net/blog/3-platforms-to-start-your-own-sharing-service​

 

Uma participação robusta na economia colaborativa exige conexões – para compartilhar, as pessoas devem ser capazes de interagir umas com as outras, para identificar fontes e maneiras de fazer girar os bens e serviços.

No próprio site do Shareable, há um número crescente de locais na rede - e fora dela - onde se encontram pessoas dispostas a compartilhar. Mas diferente de outros serviços, que oferecem comodidades específicas - como o Airbnb para compartilhar hospedagem e o Tasrabbit para serviços -, estas plataformas online peer-to-peer (pessoa-a-pessoa) foram idealizadas para facilitar o compartilhamento de produtos ou serviços específicos.

1. Near Me

A plataforma Near Me oferece umcomércio local peer-to-peer que não exige nenhum conhecimento de programação por parte do usuário. O acesso ao sistema se dá através de uma interface que contém todos os comandos para configurar, criar a identidade visual e administrar um comércio online, além de suporte telefônico, processamento de pagamentos, ferramentas de marketing, análise de dados, hospedagem e segurança. O sistema é integrado ao Pay Pal e outros sistemas internacionais de pagamento, e permite que usuários se conectem através das redes sociais.

Near Me já tem sido usado para propor coworking, oferecer equipamento fotográfico, aluguel de barcos, ferramentas e instrumentos musicais. Sua fundadora, Michelle Regner, ao ser indagada, respondeu que o usuário ideal do Near Me pode ser qualquer pessoa, desde o empresário iniciante até uma marca já estabelecida. A plataforma cobra uma taxa de adesão e uma mensalidade, e oferece suporte técnico. O valor da taxa varia de acordo com o perfil do cliente, seu escopo e necessidades.

 

2. Share Tribe

Share Tribe é uma plataforma online de compartilhamento que apresenta algumas diferenças cruciais com relação à Near Me, de acordo com o CEO e co-fundador Juho Makkonen. De acordo com ele, apesar de ser uma opção interessante, a programação da Near Me não pode ser modificada, como é o caso da Share Tribe.

“Para nós, a Share Tribe é o ‘CMS (Content Management System – Sistema de Gerenciamento de Conteúdo) da economia colaborativa’, assim como WordPress é o CMS das publicações online, Magento é o CMS do e-commerce e CrowdHoster é o CMS do crowdfunding. Share Tribe é uma plataforma de código aberto, qualquer um pode programá-la de acordo com suas necessidades. Queremos democratizar o acesso à construção de negócios peer-to-peer, e permitir que qualquer pessoa crie o seu. Também acreditamos que a ideologia do software livre se encaixa perfeitamente na economia colaborativa, e que se compartilharmos tudo que construímos livremente, outras pessoas poderão construir grandes coisas a partir disto.”

Makkonen também acredita que a Share Tribe atende melhor às necessidades de indivíduos, enquanto a Near Me se dirige a empresários e marcas estabelecidas.

 

3. My Turn

Até o momento, My Turn não se focou na criação de uma plataforma de compartilhamento peer-to-peer, apesar de a companhia já estar testando este mercado. Em compensação, My Turn tem trabalhado para estabelecer um mercado local único, onde organizações como municípios, universidades e grupos comunitários podem administrar e emprestar bens gratuitamente ou alugar por uma taxa, retirando impostos e valor agregado de bens que, de outra forma, estariam deixados de lado.

“Estamos ajudando negócios a identificar bens que estão sendo subutilizados, e a torná-los novas fontes de renda”, diz Gene Homicki, co-fundador do My Turn. “Nós também ajudamos governo e organizações não governamentais a democratizar o acesso às ferramentas e aos equipamentos que as pessoas precisam para viver, trabalhar, aprender e se divertir.”

Homicki acrescenta que My Turn foi idelizada para empoderar organizações, tanto quanto ao rastreamento e análise do uso de produtos internamente, como para o aluguel destes produtos para o público externo, através do comércio online. “Nossa central reúne tudo que nossos clientes têm para compartilhar – ferramentas, equipamentos de audiovisual e computação, equipamentos esportivos, eletrodomésticos e outros itens – e estes produtos estão facilmente disponíveis aos interessados (antigamente conhecidos como consumidores)”, ele diz.

Construindo um espaço confiável de compartilhamento

Ter confiança no intermediário é o primeiro passo para encorajar as pessoas a participar de redes de compartilhamento, de acordo com Homicki. “Esta possibilidade de compartilhar itens em um espaço comunitário, ou de alugar itens como se faria em uma loja especializada em aluguéis de bens, permite uma intersecção muito mais profunda entre as populações online e off-line, que participa de uma economia colaborativa da maneira que julgam mais segura e com a qual se sentem mais familiarizadas”, diz Homicki.

Makkonen acredita que existe um amplo espaço para as três plataformas coexistirem e servirem a diferentes nichos da economia colaborativa: “acredito que My Turn, Near Me e Share Tribe têm como alvo diferentes segmentos. My Turn atende companhias de aluguel de bens, Near Me está focada em grandes marcas e empresários consolidados, e Share Tribe atende indivíduos, start-ups em estágio inicial e desenvolvedores de softwares livres. Às vezes, elas até podem se sobrepor, mas acredito que são três estratégias válidas, e todas igualmente necessárias, de forma que há muito espaço para que possamos coexistir.”

Este é somente um rápido apanhado, mas que já pode servir de inspiração. Construir uma comunidade colaborativa pode ser um árduo trabalho, e cada usuário deve buscar a tecnologia correta para o seu caso, já que uma mudança tardia de plataforma pode ser difícil e ter um custo.

 

Ambos Near-me e Myturn.com são patrocinadores do Shareable.

1073

Donate to Shareable!

Support our crowdfunding campaign and enhance
our mission to empower everyone to share for a
more joyous, resilient, and equitable world.

.