21 tecnologias que irão descentralizar o mundo

Este post é uma tradução da Maísa Del Frari do post original de Nina Misuraca Ignaczak de 19/02/2014.

http://www.shareable.net/blog/21-technologies-that-will-decentralize-the-world

 

Por todos os cantos do planeta, novas tecnologias e modelos de negócios estão descentralizando o poder e colocando-o nas mãos de comunidades e indivíduos. “Estamos testemunhando redes de tecnologia substituindo hierarquias burocráticas” diz Fred Wilson, investidor e visionário, falando sobre o que esperar nos próximos dez anos. Veja o vídeo abaixo (tem 25 minutos, totalmente válidos!) e confira as 21 inovações a seguir:

 

1 – Open Garden:

Tecnologia de descentralização que irá se tornar a tendência dominante de 2014, de acordo com a Open Garden Foundation, trata-se de uma start-up baseada em São Francisco (EUA) dedicada à neutralidade tecnológica e ao acesso universal à internet. Sua criação, o Open Garden, promove uma rede mesh através de um aplicativo que cria uma rede sem fio, gerando mais rapidez para downloads e conectividade mais poderosa e barata.  

 

2 – Commotion Router (pode ser traduzido como “Roteador de Comoções”)

O Commotion Router é um sofware livre e de código aberto, que permite que comunidades construam suas próprias redes mesh.

3 – Twister

É realmente seguro confiar seus dados ao Twitter? Twister é uma rede social alternativa, peer-to-peer, que opera com um caráter descentralizado, criada para impedir que outros usuários saibam demais sobre sua localização e hábitos online.

4 – The Edison

O futuro dos dispositivos é ser micro e “wearable” (termo que designa dispositivos eletrônicos criados para serem usados, ou “vestidos”, por seus usuários, e que propiciam constante interação entre computador e usuário: ex. lentes de contato, roupas e acessórios específicos). Em janeiro, a Intel anunciou este computador, do tamanho de um cartão de memória SD, e blogueiros já estão propagando o seu potencial para libertar usuários dos dispositivos móveis comuns, e para tornar mais inteligentes outros pequenos dispositivos.

5 – BitCloud

Por enquanto só um conceito, a BitCloud é uma proposta para substituir a internet por um sistema descentralizado.

6 – The Internet of Things (IoT)

O número de “coisas” – things - que serão conectadas com a Internet of Things (Internet das Coisas) está para explodir, de acordo com o Business Insider (site de notícias americano, especializado em negócios e tecnologia). A “smartificação” de objetos considerados “não inteligentes”, como parquímetros, termostatos domésticos, eletrodomésticos e automóveis, irá rivalizar com o número de computadores e celulares atualmente conectados à Internet, gerando trilhões em valor econômico.

7 – WunderBar

WunderBar é um ponto de partida para desenvolvedores, hackers e criadores querendo testar suas ideias e contribuir para a Internet das Coisas. Criado pela start-up europeia Relayr, possui seis módulos com sensores de temperatura, distância, luz, cor, umidade, um giroscópio, um medidor de aceleração, um controle remoto infra-vermelho, um conector modulado e um sensor adicional, e está em campanha para financiamento através do crowdfunding.

8 – Registro Wireless

Na Internet das Coisas, tudo precisa de um endereço e um nome, como computadores comuns e celulares. Enquanto a Internet comum associa URLs a endereços IP através do sistema DNS, o Registro Wireless associa SSIDs (Service Set Identifiers) a nomes de 32 caracteres, que transmitem a identidade dos usuários no mundo wireless.

9 – Dot-Bit

Baseado no mesmo tipo de código que o BitCoin (tipo de moeda digital que utiliza a criptografia - veja o próximo item), Namecoin é um sistema alternativo de registro de domínio (e potencialmente uma internet alternativa) para o domínio de topo .bit (domínio de topo, ou top-level domain  - sigla TLD -, é um dos componentes do endereço de internet; exemplo de TLD: o final .com). Ele opera independentemente do ICANN (corporação americana que regula os domínios de topo, entre outras atribuições) e, por se basear em uma rede descentralizada, é teoricamente imune à censura na internet.

10 – Bitcoin

É uma criptomoeda, ou um meio digital de troca não controlado por nenhum grupo ou agência, e com a garantia de segurança da criptografia. O Bitcoin vem sendo usado desde 2009 e, recentemente, mais de 60 moedas já foram lançadas. (guia de criptomoedas: http://www.coindesk.com/information/what-is-bitcoin/)

11 – Ethereum

Ethereum é um “livro de registros” criptográfico e descentralizado, que permite que usuários codifiquem transações, contratos e aplicações. A ferramenta inclui sua linguagem própria de programação para criar transações personalizadas.

12 – Contratos Inteligentes (Smart Contracts)

Inspirado no conceito de que os contratos podem ser propostos e cumpridos sem a necessidade de advogados e leis contratuais. O conceito de Contrato Inteligente foi introduzido por Nick Szabo nos anos 90, mas recentemente, os avanços na criptografia estão tornando a ideia uma realidade.

13 – Propriedade Inteligente (Smart Property)

Uma das mais importantes categorias dos Contratos Inteligentes é a Propriedade Inteligente; construída em cima do conceito de processos auto-executáveis e da criptomoeda, elimina a necessidade de agentes de cobrança ou longos processos de despejo.

14 – Pagamentos Peer-to-Peer

Serviços como o Square Cash, VenMo e Dwolla estão tomando o espaço dos bancos, criando plataformas para pagamentos online entre indivíduos.

15 – Empréstimos Peer-to-Peer

Serviços como o Lending Club, Zopa e Prosper estão suplantando instituições de empréstimo e grandes bancos, permitindo que interessados realizem empréstimos sem intermediários, diretamente com outra pessoa. Mais de U$ 2.4 bilhões em empréstimos peer-to-peer foram realizados em 2013.

16 – Engajamento Civil – Crowdsourcing

Chamar a atenção das autoridades governamentais para os problemas da sua cidade está cada vez mais fácil: com plataformas de crowdsourcing como a Dear City, cidadãos podem fazer exatamente isso, enquanto outros podem votar a favor ou contra. Em tempo: crowdsourcing é um termo criado em 2006 pelo jornalista e editor da revista Wired, Jeff Howe, e refere-se a um modelo de produção que utiliza a inteligência e os conhecimentos coletivos e voluntários espalhados pela internet para resolver problemas, criar conteúdo e soluções, ou desenvolver novas tecnologias.

17 – Crowdfunding Civil

Sites como Citizinvestor, ZenFunder e neighbor.ly realizam crowdfunding para financiar projetos civis e de infra-estrutura pública.

18 – Fazendas Urbanas Descentralizadas

Serviços como o BK Farmyards, LandShare, hyperlocavore e Sharing Backyards usam as redes sociais e o Google Maps para conectar proprietários de terras a agricultores urbanos. Um novo e inteiramente alternativo sistema de agricultura está surgindo, baseado na produção local, seu processamento e distribuição.

19 – FarmHack

 
Plataforma online, peer-to-peer, de código aberto, a FarmHack apresenta inovações em ferramentas e sistemas para a agricultura sustentável.

20 – MOOCS e Plataformas Online de Ensino

A descentralização da educação baseada na tecnologia é uma promessa de mudança para o futuro. A plataforma MOOCS (Massive Online open Courses) tem potencial para ser equilibrar e descentralizar da educação, de forma que o ensino superior seja acessível a todos. Outras comunidades de ensino, como a Duolingo e a CodeAcademy, estabeleceram redes peer-to-peer para ajudar pessoas a aprenderem umas com as outras.

21 – Em breve: Identidade, Confiança e Dados

Quando usamos o Facebook e o Twitter para fazer login, disponibilizamos nossos dados para aquelas redes em troca da conveniência de não ter que memorizar a senha. Fred Wilson acredita que, num futuro próximo, veremos um protocolo no estilo do Bitcoin para identidade na internet.

 

731

Donate to Shareable!

Support our crowdfunding campaign and enhance
our mission to empower everyone to share for a
more joyous, resilient, and equitable world.

.